Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Na Pajeú, João Veiga responsabiliza prefeitos por falta de ações de combate a acidentes com motos

Publicado em Notícias por em 7 de novembro de 2014

GEDSC DIGITAL CAMERA

Do Portal Pajeú Rádioweb

No início desta semana, os pernambucanos ficaram sabendo que o índice de acidentes de trânsito com motos no Estado não tem tido redução, pelo contrário vem aumentando. O assunto tem preocupado as autoridades e a população pernambucana. Dados estatísticos mostram que em comparação com o ano de 2013 o número de acidentes nessa modalidade aumentou quase que 9% este ano. Ano passado foram 757 mortes causadas por acidentes com motos.

Hoje (07) o presidente do Comitê de Prevenção aos Acidentes de Moto do Estado de Pernambuco, o médico sertanejo João Veiga, falou sobre esses dados no Debate das Dez (Rádio Pajeú).

Segundo Veiga, a previsão para este ano é de mais de 800 mortes em acidentes com motos. “Fora aqueles que ficaram aleijados, paraplégicos, amputados, com lesões cerebrais definitivas. No Hospital da Restauração são 10 pacientes que chegam por dia em estado grave por acidente de moto”, revelou.

Veiga também falou que, as regiões onde tem tido mais crescimento no numero de acidentes com motos é o Araripe e a Região do Pajeú. Uma das funções do Comitê é cobrar das autoridades que haja mais fiscalização. Ele cobrou mais ações dos prefeitos do Estado.

“Uma das funções do Comitê é cobrar das autoridades que haja uma fiscalização maior, principalmente os prefeitos, porque sem a ação dos prefeitos, sem a ação das prefeituras para organizar a parte urbana fica difícil”, disse.

Veiga disse que infelizmente até agora nenhum prefeito colocou isso como pauta, como fez o prefeito de Salvador – BA e está fazendo o prefeito de João Pessoa – PB, que colocaram o assunto como pauta principal em seus municípios.

Veiga também falou que não há outra forma para diminuir se não fiscalizar e punir. Mais uma vez  chamou à responsabilidade os prefeitos pernambucanos. “O governo não quer ficar contando os mortos, a gente quer salvar vidas, mas tem que ter uma participação de verdade das autoridades dos municípios”.

Veiga também falou que fora algumas criticas por parte de representantes da população, questionando uma ou outra prisão, a maioria apoia quando a Operação Lei Seca chega aos municípios.

Veja trecho do debate no vídeo do Portal Pajeú Rádioweb:

Você pode ouvir o debate na íntegra clicando aqui

Tags: , ,

Comentário(s) (1)

Trackback | Comentários RSS

  1. A SECURA DA LEI NO PAÍS DO ‘SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO’: condenada por ‘desacato’, ao dizer que o juiz João Carlos Correa “não era Deus”, a agente de trânsito Luciana Tamburini está obrigada a indenizar o magistrado em R$ 5 mil (há possibilidade de recurso no STJ). Há 3 anos e meio ele foi parado numa blitz da Lei Seca sem habilitação e documento de sua Land Rover não emplacada. Discordando da apreensão do veículo – e para onde ele deveria ser levado – afirmou que Luciana era “debochada” e lhe deu voz de prisão. Esta, por sua vez, moveu ação contra o Meritíssimo por “exposição a situação vexatória”. E perdeu, sendo condenada “por abuso de poder, ofendendo o réu, mesmo ciente da função pública desempenhada por ele”.

    De Luciana, pouco se sabe, mas é ilustrativa a entrevista dela publicada hoje em O Globo(veja abaixo). Do juiz, é conhecido um histórico no mínimo polêmico, já tendo sido alvo de inspeção pela Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça por sentenças suspeitas em Búzios, em disputas imobiliárias e remoções coercitivas.Também já se envolveu em outras contendas de trânsito, como em 2009, ao ser parado por excesso de velocidade em Rio Bonito (RJ). Diz o policial rodoviário Anderson Caldeira ao jornal Extra: – Em nenhum momento parou de gritar e me ameaçar, dizendo que me colocaria na rua, que a minha carreira no serviço público estava acabada.

Deixar um Comentário