Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?



Coluna do Domingão

Publicado em Notícias por em 29 de setembro de 2019

Foto: Cosmo Queiroz

Fernando Bezerra: “conto com solidariedade e compreensão de Bolsonaro”

O Senador Fernando Bezerra Coelho aparentemente até o momento sai fortalecido depois das investigações e operação da PF que vasculharam seus gabinetes e de Fernando Filho no último dia 19. Esta semana, o presidente Bolsonaro afirmou que “é preciso de algo mais concreto” para afasta-lo da liderança do Senado.

Em entrevista ao blog, Bezerra Coelho afirmou que de fato os capítulos que se sucederam àquela operação mostraram que ele tinha razão a questionar a forma como ela se deu. Ou seja, assume a vitimização no episódio e ainda critica os métodos da PF e consequentemente de Sérgio Moro, acusado de estar por trás de tudo.

“Tenho contado com a solidariedade e com a compreensão do presidente. Estamos vivendo tempos muito difíceis no Brasil. Os atropelos tem se verificado na aplicação da lei, no respeito à constituição. Temos que manter a serenidade. Muitas lideranças políticas aqui no estado em outros tempos sofreram também ataques no campo ético. Lembro o episódio dos precatórios com Arraes, com Eduardo, e o tempo cuidou de esclarecer essas questões. Peço aos pernambucanos a compreensão para, durante a tramitação dessas investigações, desses inquéritos, das ações que porventura possam vir a ser abertas, porque tudo será esclarecido.”

A PF diz que encontrou um arquivo chamado “doadores ocultos“, em um computador e um disco de memória nas buscas. Documentos digitais com referência a pagamentos destinados a empresas envolvidas na operação Desintegração também foram encontrados. A acusação é de propina de R$ 5,5 milhões para FBC e R$ 1,7 para Fernando Filho. O Senador reafirmou que as acusações fazem parte de jogo político e retaliação de Sérgio Moro, como acusou em nota sua defesa.

“Na realidade ainda não tivemos acesso às informações de todos os objetos que foram coletados nessa operação, mas eu tenho muita confiança que assim que tivermos nós vamos desmentir todas essas ilações que foram feitas de forma açodada pelos responsáveis por essas investigações”.

Em resumo: se não houver fato novo importante, Bezerra Coelho segue como carta importante no jogo político nacional. Continua sendo interlocutor do MDB e de seus aliados, inclusive no Sertão. Do inferno ao céu em poucos dias. Como as acusações contra ele não deixam de ser graves, há de se aguardar se fica lá em cima por muito tempo ou se enfrenta nova turbulência. O tempo, sempre ele, dirá.

MDB não é sub

Presidente do MDB, Raul Henry disse que a ideia é dobrar o número de prefeitos em Pernambuco, hoje em 16, sem nenhuma cerimônia em desagradar socialista para o ano. “Nunca fomos sub-legenda do PSB. E 2022 discutimos em 2022”.

Quem foi

O ato de filiação de Totonho Valadares ao MDB teve de lideranças locais dois vereadores: Daniel Valadares e Wellington JK. Zé Negão foi à pousada antes. Além disso, populares e aqui acolá um ex-vereador como Luiz Odon ou Zé Ioni. Também o Desembargador Cláudio Nogueira. Ou força de Patriota e boicote ou o efeito standy by:  quem espera rachar pra pular não bota cara agora.

Cada um com os seus

O Diretor de Saúde de São José do Egito, Flávio Jucá, negou que haja porta fechada para pacientes graves de Brejinho no Hospital Maria Rafael de Siqueira. E questionou a prefeita acusadora, Tânia Maria. “Na atenção básica, ela cuida do povo da cidade dela e nos cuidamos do nosso”.

No ato

Nomes da região que acompanharam o ato do MDB com FBC: Dessoles (Iguaracy), Didi, Neudo da Itã e Preguinho (Carnaíba), Mário Viana (Ingazeira), Sávio Torres (Tuparetama), Val Araújo (Betânia) e Evandro Valadares (São José do Egito).

Silêncio que fala

A semana foi de calmaria em Serra Talhada. Nenhuma declaração mais forte do grupo de Duque, Sebá, Carlos… Dizem os especialistas de plantão que é nessas horas que a panela ferve. Daqui a pouco pode apitar  com algum novo ingrediente no pirão político.

Pra saber do estrago

O grande teste de quão grande foi o estrago na popularidade de Célia Galindo, acusada de ser a responsável pela pressão para transferência do Delegado Israel Rubis será o das urnas em 2020. Mesmo que tenha sido técnica, a noda já ficou. Célia já passou por outras polêmicas antes, mas sempre escapou. Agora enfrentará cenário mais adverso.

É um Messias

FBC tem dito que vai buscar acelerar obras hídricas como a segunda etapa da Adutora do Pajeú e inaugurar a Barragem da Ingazeira. À coluna, garantiu que Bolsonaro não é tão mal como dizem. “Deu o 13º do Bolsa Família e ajuda em dinheiro para mães de crianças com microcefalia por Zika Vírus”.

Frase da semana:

“Só não sou lagartixa pra ficar balançando a cabeça pra tudo”.

De Totonho Valadares, dizendo que não rachou, mas que não segue a cartilha tal qual como quer José Patriota em Afogados.

Deixar um Comentário