Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?



Em 2019, seja feliz! Depois, seja o que você quiser!

Publicado em Notícias por em 31 de dezembro de 2018

Caio Felipe, 2 anos, brincando de ser o papai. A felicidade dele e das demais crianças depende da nossa felicidade e do legado que construirmos. Foto de Cláudio Gomes

A escritora Socorro Acioli, em texto que corre as redes sociais, nos ajudou a entender o que é ser feliz. “O que mais a impressiona no seu texto é descobrir o que define pessoas felizes”, diz.

“A felicidade, essa meta por vezes impossível, é parte deles, está intrínseco. Vivem um dia após o outro desfrutando de uma alegria genuína, leve, discreta, plantada na alma como uma árvore de raízes que força nenhuma consegue arrancar”.

Segue: “dos felizes que conheço, nenhum leva uma vida perfeita. Não são famosos. Nenhum é milionário, alguns vivem com muito pouco, inclusive. Nenhum tem saúde impecável, ou uma família sem problemas. Todos enfrentam e enfrentaram dissabores de várias ordens. Mas continuam discretamente felizes.

O primeiro hábito que eles têm em comum é a generosidade. Mais que isso: eles têm prazer em ajudar, dividir, doar. Ajudam com um sorriso imenso no rosto, com desejo verdadeiro e sentem-se bem o suficiente para nunca relembrar ou cobrar o que foi feito e jamais pedir algo em troca.

Os felizes costumam oferecer ajuda antes que se peça. Ficam inquietos com a dor do outro, querem colaborar de alguma maneira. São sensíveis e identificam as necessidades alheias mesmo antes de receber qualquer pedido. Os felizes, sobretudo, doam o próprio tempo, suas horas de vida, às vezes dividem o que têm, mesmo quando é muito pouco.

Eu também observo os infelizes e já fiz a contraprova: eles costumam ser egoístas. Negam qualquer pequeno favor. Reagem com irritação ao mínimo pedido. Quando fazem, não perdem a oportunidade de relembrar, quase cobram medalhas e passam o recibo. Não gostam de ter a rotina perturbada por solicitações dos outros. Se fazem uma bondade qualquer, calculam o benefício próprio e seguem assim, infelizes. Cada vez mais”.

Se a felicidade reside também na inquietação com a dor do outro, na luta por dias melhore para determinada parcela ou comunidade, isso explica o fato de que o blog fecha 2018 com sentimento de dever cumprido, uma espécie de departamento da felicidade. Essa certamente é a característica que mais preenche nossos temas e linha editorial. Em nome das causas e bandeiras que defendeu, o blog não teve filtro ou condicionante. Não evitou ou poupou. Também não enfrentou ou agrediu gratuitamente. Com equilíbrio sobre dosar e fazer o bom debate, seu pedaço na contribuição para uma região, estado, país melhor.

A maior consequência disso se reflete no números: a audiência média do blog nunca esteve tão grande e sólida. São dados que impressionam, mas que ao mesmo tempo explicam um trabalho prestes a completar 15 anos em 2019. Só isso para explicar, por exemplo, a repercussão de uma Coluna que escolheu o dia de menor audiência média na blogosfera pra existir: o Domingão. Aí reside a certeza da máxima do blog de que seu maior cliente é mesmo Sua Majestade, o leitor. Ele é fiscal, exigente, plural, bússola para uma condução sempre em busca da isenção editorial, prestação de serviço e interlocução com as instituições espalhadas pelos quatro cantos.

Projetos para 2019? São muitos. Não é brincadeira, o blog completa 15 anos, a Rádio Pajeú, mãe da comunicação na região onde estamos há bem mais tempo vai fazer 60 anos, quem escreve vai fazer 4.5. Assim, tem muita coisa pra andar.

Uma delas será na volta das férias mudar a foto capa do blog. A pedido de quem compara o editor real com o virtual daquela imagem no topo da página, tá na hora de mostrar os cabelos brancos que os últimos anos acresceram. Outro projeto bem mais importante será o lançamento do quadro O Blog na História, também aos domingos, com um fato que tenha completado cinco, dez, quinze anos e que mereça ser relembrado, fruto de nosso acervo.

Por fim, quem sabe o maior projeto continue sendo mesmo buscar a cada dia continuar sendo feliz no trabalho e na vida, busca que só cessa quando cessa o respirar da gente.

Seja Feliz em 2019!

Deixar um Comentário