Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?



EUA investigam explosivos enviados a Obama e casal Clinton; CNN esvazia prédio em NY

Publicado em Notícias por em 24 de outubro de 2018

Foto obtida pela NBC mostra a carta-bomba que foi enviada para a CNN/Twitter/NBC

Do UOL

As autoridades dos EUA investigam nesta quarta-feira (24) o envio de um pacote com explosivos ao escritório do ex-presidente Barack Obama, em Washington, e outro com destino a residência do casal Clinton, no subúrbio de Nova York.

Também foi encontrado um artefato com potencial explosivo na sede da CNN em Nova York –uma das maiores emissoras de TV do mundo. Equipes de polícia foram enviadas às sedes dos principais meios de comunicação em Nova York. Os pacotes não chegaram às mãos de Obama, nem dos Clinton, uma vez que foram interceptados pelos serviços de inteligência antes. Não há registros de explosões, nem de feridos.

Pelo menos 6 pacotes com potencial explosivo foram localizados nos últimos dias nos EUA.

Por sua condição de ex-presidentes, toda a correspondência destinada às residências de Obama e Clinton é inspecionada por agentes do Serviço Secreto, que negou que tenha sido encontrada uma bomba endereçada à Casa Branca, sede do governo, como alguns veículos de imprensa local informaram mais cedo.

Autoridades em NY confirmaram que o explosivo encontrado na CNN estava ativo – ou seja, com potencial explosivo. O pacote continha ainda um pó branco que será investigado.

Também foi reportado um pacote suspeito no escritório de uma deputada democrata na Flórida. Debbie Wasserman Schultz é ex-líder do Comitê Nacional Democrata. O pacote estava endereçado para o ex-Procurador-Geral da era Obama, Eric Holder, mas não foi entregue porque tinha o endereço errado –o pacote então retornou para o escritório de Schultz, que constava no remetente.

O governador de Nova York, o democrata Andrew Cuomo, também confirmou que um pacote com explosivos foi enviado para seu escritório.

Os episódios acontecem semanas antes das eleições de meio de mandato, agendadas para 6 de novembro, que vão determinar se os republicanos mantêm o controle no Congresso.

Alvo comum

Em diferentes localidades dos Estados Unidos, os pacotes parecem ter um alvo em comum: membros e apoiadores do Partido Democrata, opositores ao presidente republicano Donald Trump. Hillary concorreu contra Trump nas eleições de 2016, e Bill Clinton governou o país de 1993 a 2001.

Na segunda-feira, um dispositivo havia sido localizado na residência do bilionário George Soros, doador para as campanhas dos democratas.

Devido à presença do artefato na sede da CNN, a emissora retirou funcionários do prédio que ocupa no Time Warner Center. A TV disse que o pacote tinha como destino o ex-diretor da CIA John Brennan, crítico ao governo Trump e colaborador frequente do canal.

Deixar um Comentário