Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Raquel recebe apoio de lideranças evangélicas da Região Metropolitana

Publicado em Notícias por em 10 de julho de 2022

 

A pré-candidata ao Governo do Estado, Raquel Lyra (PSDB), recebeu, neste sábado (09), o apoio de pastores e lideranças evangélicas da Região Metropolitana do Recife, em ato político que ocorreu no Mar Hotel, no Bairro de Boa Viagem, no Recife.

O pastor-presidente da Assembleia de Deus AD Brás, Eliseu Virgínio, liderou o encontro, que reuniu 200 pessoas, entre pastores, missionários e outros representantes do Recife, Ipojuca, Cabo de Santo Agostinho, Ilha de Itamaracá, Jaboatão dos Guararapes, Abreu e Lima, Olinda, Paulista, Igarassu, Araçoiaba, além de municípios do interior, como Amaraji, Escada, Gameleira, Barreiros e Caruaru.

“Nós precisamos de pessoas como Raquel, que vem com o desejo de trabalhar, desenvolver e libertar quem está oprimido. Não há dúvidas de que ela fará uma história maravilhosa em Pernambuco e um governo excelente. Este estado é maravilhoso, a terra é boa, de oportunidades, mas os governantes têm subjugado esse povo”, afirmou o pastor Eliseu.

Raquel apresentou propostas do seu Plano de Governo, como o Bom Prato Pernambucano, que vai oferecer refeições em todo estado para combater a pobreza; o Trilhatec, que vai ofertar cursos profissionalizantes nas escolas estaduais; a criação de 60 mil vagas de creches e a construção de cinco grandes maternidades.

Ao responder perguntas sobre segurança, educação e turismo, citou seus principais resultados à frente da Prefeitura de Caruaru, como a construção de 4,5 mil casas, a prevenção da violência por meio do programa Juntos pela Segurança, a valorização e o incentivo de pontos turísticos e os cursos de qualificação profissional para as mulheres.

“Estou muito honrada em estar aqui e essa não é uma jornada simples, não é fácil.  Mas nosso propósito é construir um Pernambuco novo, com mais segurança, dignidade, e que consiga saciar a fome do povo, enxergando e assistindo as pessoas que estão esquecidas, que são aquelas que estão nas palafitas, nas áreas de risco nos morros, que muitas vezes não têm o que dar de comer aos seus filhos. Não precisa ser assim. O que fizemos em Caruaru, vamos fazer em Pernambuco”, ressaltou Raquel.

Deixar um Comentário