Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

PF começa a ouvir presos da Operação Lava-Jato em Curitiba

Publicado em Notícias por em 15 de novembro de 2014
2014-768204457-2014111468371.jpg_20141114

O ex-diretor de serviço da Petrobras, Renato Duque chega a sede da Polícia Federal no Rio, após ser preso. Foto: O Globo

do O Globo

Na madrugada deste sábado (15), o avião da Polícia Federal que levava 16 presos da sétima fase da Operação Lava-Jato chegou ao aeroporto de Curitiba, no Paraná, vindo do Rio de Janeiro. Os detidos foram levados para a superintendência do órgão na capital paranaense. Até o início da manhã, 20 dos 21 acusados que estão com mandado de prisão temporária já haviam sido presos, sendo que quatro deles se apresentaram antes à PF do Paraná. Há informações de que o número de presos teria aumentado para 21, o que ainda não foi confirmado pela Polícia Federal. Cinco ainda estão foragidos.

Cinco habeas corpus pedindo soltura dos presos foram impetrados no TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região. Os advogados do agente da PF Jayme Alves de Oliveira Filho, que presta serviços no Rio de Janeiro, pediram a revogação da prisão temporária dele ao juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba. Eles alegam que o agente foi reconhecido apenas por foto por um dos acusados, que o identificou como sendo uma das três pessoas encarregadas pelo doleiro Alberto Youssef de entregar dinheiro a terceiros.

O delegado da Polícia Federal Igor de Paula disse que as empreiteiras envolvidas na operação fazem parte de um grupo que presta serviços ao governo federal, além da Petrobras. Os alvos dessa nova operação são executivos de empreiteiras ligadas ao esquema de fraudes e pessoas envolvidas em transporte de dinheiro para doleiros. O procurador-regional da República do Paraná Carlos Fernando Lima afirmou que a investigação ainda será estendida.

Comentário(s) (1)

Trackback | Comentários RSS

  1. A carceragem da PF em Curitiba não tem como receber tantos presos “ilustres”, assim, boa parte vai cair no Complexo Penitenciário Estatual de Piraquara, e lá é onde o filho chora e a mãe nem escuta. Tem bacana que vai passar apertado!… Serão muitas “delações premiadas” desses delinquentes “arrependidos” e temerosos por seus buticos!

Deixar um Comentário