Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Grupo deixa quarentena em Anápolis apos 14 dias

Publicado em Notícias por em 23 de fevereiro de 2020

G1

O grupo que estava há 14 dias na Base Aérea de Anápolis, a 55 km de Goiânia, deixou a quarentena na manhã deste domingo (23).

As 58 pessoas, entre repatriados e equipe técnica de apoio, chegaram ao Brasil no dia 9 deste mês, vindos de Wuhan, epicentro do novo coronavírus na China.

A previsão inicial era que o grupo ficasse isolado por 18 dias, mas a liberação ocorreu antes, após o terceiro e último exame apontar que ninguém foi contaminado pelo coronavírus.

Eles voltarão a seus estados (veja lista) em dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Um deles faz escalas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Florianópolis. Já a segunda aeronave vai pousar em Brasília e na Serra do Cachimbo, no Pará. Dois dos repatriados vão seguir até Brasília e, de lá, irão em voos comerciais para Natal e São Luiz. Um dos repatriados permanecerá em Anápolis.

Por volta das 8h, o grupo participou de um café da manhã festivo. Antes de os aviões decolarem, foi realizada uma cerimônia de encerramento da Operação Regresso. Participaram dessa solenidade o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), o prefeito de Anápolis, Roberto Naves (PP), o comandante da FAB, tenente-brigadeiro do Ar Antônio Bermudez, e o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, representando o ministro Luiz Henrique Mandetta.

Caiado disse que a liberação do grupo sem contaminação do coronavírus é um “legado” para o país. Afirmou ainda que a população de Goiás acolheu os repatriados e que não tem “o vírus do preconceito”.

“Prevaleceu a tese que a solidariedade vence o medo. Esse é o legado que se deixa para o país. É um momento especial, mostrar que os 58 não têm o coronavírus e que o goiano é povo acolhedor e não tem o vírus do preconceito”, ressaltou.

O ministro da Defesa recebeu bandeiras assinadas pelo grupo que estava em quarentena. Fernando Azevedo e Silva agradeceu e celebrou o fim da operação, considerada por ele como um “sucesso”.

“Quero passar o nosso sentimento. É de orgulho e alívio. Orgulho pelo fim da operação com sucesso. E alívio por todos os resultados foram negativos”, declarou.

Deixar um Comentário