Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Coluna do Domingão

Publicado em Notícias por em 22 de agosto de 2021

Lula e Bolsonaro morrem de medo de Ciro

Um dos motivos pelos quais Bolsonaro e Lula se alimentam um do outro é o chamado fator Ciro. Eles não admitem publicamente, se referem a ele sem aprofundar o debate, mas morrem de medo da possibilidade de crescimento de Ciro Gomes, no esteio do discurso #nemlulanembolsonaro .

O presidenciável tem cumprido uma agenda midiática da Globo à Band. Da Conversa com o Bial ao Canal Livre da Band, debatendo os problemas do país com uma lucidez difícil de  ver no plano nacional. Um dos exemplos foi a sabatina no Canal Livre, com respostas sobre os problemas do país como a que você assiste acima.

O ex-governador do Ceará e ex-ministro analisou o atual momento do país e revelou seus planos políticos para a disputa eleitoral de 2022.  “É necessário que o Brasil celebre um novo modelo econômico e um novo modelo de governança política. Ainda que eu não esteja solitário, [há] um apelo para que a população brasileira nos livre dessa bola de chumbo que nos prende ao passado. O momento brasileiro pede muito equilíbrio, muita autoridade e muita severidade”, disse o pré-candidato à presidência.

Sobe a pecha de desequilibrado, que pejorativamente tentam lhe imputar para descredenciá-lo, afirmou:  “Percebi que muitas vezes uma frase mais forte, que é a expressão da minha indignação, muito mais assusta do que comovem. E a mensagem, para um bom comunicador, pertence a quem recebe e não a quem emite. Não me custa nada aprender com os erros que cometi”, completou.

Sobre Bolsonaro: “Historicamente, ele não está na linha dos presidentes que escaparam dos suicídios, das renúncias e dos impeachments. Depois, a psicologia do Bolsonaro está se agravando. É um paranoide imbecil, com traço de canalhice muito grave. Um grande pilantra envolvido em corrupção. Ele roubava dinheiro de gasolina na Câmara Federal. Isso tudo posso provar, tanto é que ele não me processa”, disparou.

Sobre Lula disse recentemente: “Eu venho de longa data, o Lula também. O Lula comete equívocos estratégicos que tem uma explicação: o lulocentrismo. O egolatrismo absolutamente sem contraste e agora piorado porque os grandes amigos que ele tinha que diziam ‘menos, Lula’ morreram todos. Ele está cercado de bajuladores de quinto nível. O ego do Lula agora não tem reparo, não tem contradição, despirocou geral. Não mudou nem uma ideia sobre nada. E agora tá piorado, porque ele considera, vamos dizer, que o crime compensa”, disse.

O ranço do petista e a ida de Ciro a Paris no segundo turno Bolsonaro x Haddad foram explicados por Delfim Neto.  “Lula tinha organizado Ciro como presidente e Haddad como vice. Os dois foram ao meu escritório, o jornalista Mario Sergio Conti é testemunha. O objetivo era formular um programa de desenvolvimento do Brasil para sair da situação complicada em que se encontrava. Se não tivessem traído o Ciro, ele teria sido eleito. PT não teve a grandeza de ser o segundo na chapa”, revelou.

Ciro aposta nos debates que terá pela frente e no crescimento do eleitor que quer algo diferente de Lula e Bolsonaro, que ele calcula hoje em cerca de 41%. E sua capacidade de diálogo mais a fragilidade de vidro dos projetos de Lula e Bolsonaro faz com que os dois lutem pela polarização, façam pouco caso do projeto do cearense e até tentem ridicularizar suas posições. Freud explica. Os dois tentam a todo custo evitar Ciro contra um deles no segundo turno. O grande desafio do pedetista é furar a bolha e chegar ao segundo turno contra um ou contra outro. Se chegar, pode encomendar o paletó…

Pega a senha

Zé Negão foi alvo de umas dez ações por danos morais em virtude de falas na campanha. Na lista, por ter chamado José Patriota de “FDP”, por ter questionado a doação de secretários para a campanha de Sandrinho, por acusar Daniel Valadares de ter recebido diárias na gestão do pai Totonho. “Não vou perder uma”, diz confiante. Parte delas já teve audiência de conciliação, sem sucesso.

Golpista trapalhão

O mesmo golpista que usou o nome do vice Márcio Oliveira para extorquir comerciantes em Serra Talhada foi o que fez de vítima o prefeito de Afogados, Sandrinho Palmeira. Segundo o prefeito ele chegou a fazer uma trapalhada: se passou por Sandrinho, mas esqueceu de trocar de foto e mostrou a foto de Márcio (detalhe ao lado). Um comerciante percebeu a diferença e claro, não cau no golpe.

Melhores

No ranking dos melhores índices de transparência 2020 no ranking TCE, destaque para as prefeituras sertanejas de Triunfo (94,72% de itens atendidos), Flores (92,71%), Petrolina (89,95%), São José do Belmonte (88,94%), Arcoverde (86,68%) e Santa Cruz da Baixa Verde (85,93%). Em 2020, os prefeitos eram João Batista, Marconi Santana, Miguel Coelho, Romonilson Mariano e Tássio Bezerra.

 Bons

Serra Talhada ficou em 30º com 83,92% dos critérios atendidos. Na sequência com avaliação positiva Ingazeira (81,41%), Carnaíba (81,16%), Sertânia (80,65%), Afogados da Ingazeira (78,89%), Salgueiro (76,88%), Tuparetama (75,13%), Tabira (74,87%), Betânia (74,62%) e Solidão (74,62%). Em Ingazeira o prefeito era Lino Morais, Sebastião Dias em Tabira, Patriota em Afogados e Clebel em Salgueiro.

 Moderados

Figuram com avaliação moderada Custódia (72,61%), Floresta (72,36%), São José do Egito (69,10%), Iguaracy (67,84%), Calumbi (67,09%), Brejinho (59,05%), Santa Terezinha (58,79%), e Itapetim (58,29%). Dessas, tinham outros prefeitos Floresta (Ricardo Ferraz), Calumbi (Sandra da Farmácia), Brejinho (Tânia Maria) e Santa Terezinha (Vaninho de Danda).

 Ruim e péssima

Só Quixaba ficou no rabo da gata. O índice de transparência do último ano da gestão de Tião de Gaudêncio foi considerado insuficiente, atendendo apenas 23,63% dos critérios. E a pior do Estado é também do Sertão, Mirandiba, que foi gerida por Rose Cléa Máximo (PSD), tendo apenas 1,01% de critérios atendidos. Uma tragédia.

Ferro no PSB

Fernando Ferro deu entrevista à Rádio Pajeú e reafirmou sua vontade de que o PT tenha candidatura própria em PE. “Marilia pontua muito bem”, lembrou. Ainda cutucou Humberto, que da boca da fora fala em candidatura própria. “Precisa ser mais firme na posição. Não podemos ficar a reboque do PSB”. Ferro quer voltar à Câmara. Em 2018 foi sacrificado por não ter palanque, contra a decisão nacional que rifou a candidatura própria.

192

A ansiedade pelo início das atividades do SAMU Regional é tão grande que, pouco depois da entrega da Central de Regulação, foram cinco chamados para o 192 de emergências que caíram na unidade, que ainda não está atendendo porque a OS ITGM ainda não assumiu os trabalhos. Isso deve ocorrer até setembro, depois de nova visita técnica do Cimpajeú à gestão do SAMU Fortaleza.

Frase da semana:

“Quando um não quer, dois não brigam”.

Do ex-presidente Lula, sobre as críticas que tem recebido de Ciro Gomes.

Deixar um Comentário