Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?



Publicação no Facebook ‘vazou’ operação antiterror da PF, diz ministro

Publicado em Notícias por em 21 de julho de 2016

ministro-da-defesa-raul-jungmann-participa-de-evento-no-rio-de-janeiro-e-explica-plano-para-a-olimpiada-1467820876597_v2_900x506

Vinicius Konchinski

Do UOL, no Rio de Janeiro

A operação antiterrorismo deflagrada nesta quinta-feira (21) pela Polícia Federal foi divulgada contra a vontade do governo federal, segundo o ministro da Defesa, Raul Jungmann. O ministro disse nesta tarde que há dias o grupo detido já estava sendo monitorado. A prisão deles só foi divulgada pelo Ministério da Justiça pois a mulher de um suspeito publicou no Facebook um post sobre a operação.

“O juiz da vara [que autorizou a operação] cobrou sigilo. Mas a questão vazou porque a esposa de um deles colocou a questão no Facebook. Aí então, evidentemente, isso nos fugiu do controle”, relatou Jungmann.

Segundo o próprio ministro, a chance das pessoas detidas nesta sexta praticarem um ato terrorista durante a Olimpíada era pequena. O grupo era, aparentemente, amador e não tinha organização suficiente para apresentar risco à Olimpíada.

A Lei Antiterrorismo em vigor no país, contudo, estabelece que o planejamento de um ato terrorista no Brasil já é um crime. Cabe às forças de segurança, portanto, reprimir qualquer ato desse tipo. “Eles cruzaram a linha. Começaram a preparar um ato terrorista. O preparativo é crime”, disse o ministro.

Jungmann voltou a afirmar que não é provável que aconteça algum ato terrorista no Brasil durante a Rio-2016. Ele ressaltou que as forças de segurança e defesa estão monitorando outros suspeitos no país. Isso, porém, não elevou a atenção do governo quanto a ameaças.

“Não somos prioridade [do terror]”, disse ele. “Mas estamos vivendo um momento de stress pré-megaevento. Isso aconteceu um Londres, em Pequim, e é natural que aconteça aqui por conta dos últimos ataques ocorridos recentemente.”

Deixar um Comentário