Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?



Tabirenses cobram justiça por mãe tabirense atropelada por gestor de Cadeia de Afogados

Publicado em Notícias por em 17 de dezembro de 2018

Edsoneide foi sepultada essa manhã e deixou três filhas. Jefferson continua na Restauração

Vítima foi sepultada esta manhã. Relatos de testemunhas atestam que condutor estava sob efeito de álcool. “Página Não foi Acidente” também trata do episódio. Caso ficará a cargo do Delegado de Tabira, que disse que está recebendo informações de Afogados, onde aconteceu o plantão

Foi sepultada hoje em Tabira a vítima do acidente registrado na última sexta, quando uma Hilux, de cor prata, de placas PDW-8104 de Tabira-PE, acabou atropelando um casal de trafegava pela Rodovia PE 320, no trevo de acesso às cidades de Afogados da Ingazeira e São José do Egito, em frente ao Nogueirão E ao depósito da Soferro, antes de chegar na cidade.

Edsoneide Nunes não resistiu aos ferimentos após atingida pelo carro guiado por Osman Lima, 58 anos,  agente penitenciário, morador do centro. Ele bateu na moto Titan preta, placa KHM 2313, que vinha em sentido contrário, guiada por Jefferson Silva, 23 anos. Ele continua internado no Hospital da Restauração, após fratura no fêmur.

Imagens do acusado e cobrança de punição correm as redes sociais. “Para tentar se evadir, passou por cima de Edsoneide”, diz link do “Não foi Acidente”

Osman vinha de uma confraternização e segundo testemunhas, estava sob efeito de álcool quando voltava do evento. Moradores da comunidade de Riacho do Gado demonstraram revolta com o fato de que o acusado foi solto em seguida.  Osman é o gestor da Cadeia Pública de Afogados da Ingazeira.

O episódio repercute também na conhecida conta “Não foi Acidente”, que cobra punição para crimes dessa natureza, que não devem ser enquadrados como acidentes de trânsito e sim como homicídio com dolo eventual.

“Condutor alcoolizado bateu na moto e ao tentar se evadir, passou por cima de Edsoneide Nunes, mãe de três filhas que agora choram a morte dela. É muito revoltante. É de partir o coração ver uma pessoa conhecida no chão pela crueldade de alguém”.

Apesar de o plantão ter sido em Afogados da Ingazeira, caberá ao Delegado de Tabira, Thiago Souza, dar sequência às investigações. Contactado pelo blog, ele disse estar tomando par das informações dos plantonistas que receberam o caso em Afogados da Ingazeira. Ele confirmou que Osman não foi detido e que irá se pronunciar após receber todas as informações e definir a linha de investigação.

Muitos invocaram o caso de Hebson Thiago Silva Sampaio, acusado de atropelar e matar duas jovens no dia 19 de dezembro de 2013, no Bairro do Riacho do Gado, Tabira. Ele foi condenado em junho a quinze anos e dois meses de detenção por homicídio qualificado.

O advogado de Hebson, Luciano Pacheco, defendia que ele fosse condenado por homicídio culposo, quando não há dolo, ou intenção, por tratar-se de episódio de trânsito.

Deixar um Comentário