Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Padre Airton Freire, da Fundação Terra, virou assunto político da semana. Entenda:

Publicado em Notícias por em 27 de setembro de 2020

Em Arcoverde, nem Wellington LW, nem Israel Rubis, nem Zeca Cavalcanti,  Eduíno Brito, muito menos Cybele Roa.

Eles foram meros coadjuvantes da história política que teve como ator principal o Padre Airton Freire, da Fundação Terra.

Tudo começou com uma declaração do sacerdote afirmando que todos na Fundação Terra são livres para votar em quem quiser. “Mas eu, Padre Airton Freire, tenho uma dívida de gratidão com Dona Madalena”.

E justificou: “quando nós estávamos com fome, foi ela que nos socorreu. Isso eu digo agora, digo depois de eleição, independente de quem ela apoie, de quem ela não apoie. Eu tenho uma dívida de gratidão com ela. Nunca esqueço o que ela fez por nós na Rua do Lixo. A relação dela com Zeca, com quem apoie ou não apoie, não me interessa”.

A fala não foi bem digerida por setores ligados a Zeca Cavalcanti.  A fala mais  dura veio de Eduardo Silva, o Dudu, irmão de um coordenador da campanha e cunhado da vereadora Zirleide e viralizou.

“É um vagabundo. Merece uma pisa! Esse padre Airton merece uma pisa todo dia. Fica se aproveitando do povo, comendo dinheiro do povo com essa cara de imbecil. Ladrão, comendo dinheiro do povo. Esse padre tá fudido e Wellington (LW) mais ainda”.

Claro, a fala foi explorada pelos governistas que ajudararam a lançar o movimento “Respeite o Padre Airton, sua vida, sua obra, sua fé”.

Nas redes sociais, Zeca repudiou as declarações do simpatizante.  “Homem simples, homem humilde, homem de bem, que faz um grande trabalho social na nossa cidade. Repudio qualquer palavra grosseira contra meu amigo Padre Airton. Não admito grosseiras na minha campanha principalmente com figuras tão queridas na nossa cidade”.

Neste sábado, uma movimentação com motos, carros e veículos  de tração animal saiu da antiga rua do lixo e circulou pelas principais ruas de Arcoverde pedindo respeito ao padre. O assunto ainda rende…

Deixar um Comentário