Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Marina ignora Aécio e sobe tom contra Dilma na reta final

Publicado em Notícias por em 1 de outubro de 2014

20082014062855

Do Uol

A campanha de Marina Silva (PSB), ao menos no discurso, minimiza a subida deAécio Neves (PSDB) nas pesquisas e promete aumentar os ataques contra Dilma Rousseff (PT) nesta reta final de campanha.

Segundo a última pesquisa Datafolha, Dilma está com 40% das intenções de voto, seguida de Marina, com 25% e Aécio, com 20%. A candidata do PSB perdeu nove pontos percentuais desde 3 de setembro, data em que estava com 34% das intenções. No mesmo período, Aécio aumentou seis pontos percentuais, e Dilma, cinco.

Isso significa que os votos perdidos de Marina se dividiram entre o tucano e a petista. No mesmo período, a rejeição da ex-senadora subiu de 16% para 25%; a de Dilma caiu de 34% para 31%; e a de Aécio subiu de 21% para 23%.

Desde o início de setembro, a ex-senadora tornou-se alvo de ataques das duas campanhas. Enquanto o PSDB explora o passado petista de Marina e diz que ela não tem preparo para assumir a Presidência, o PT acusa Marina de mentir e mudar de posição conforme a ocasião.

Nesta semana, durante atos de campanha em Pernambuco, Marina focou os ataques à Dilma, colocando Aécio em segundo plano. Em entrevistas e discursos, aliados e própria candidata já se colocam no segundo turno. Ontem (30), durante evento em São Paulo, a ex-senadora fez as declarações mais agressivas contra a rival petista desde que as eleições tiveram início.

“Não me venha chamar de mentirosa. Mentira é quem diz que não sabe que tinha roubo na Petrobras. Mentira é quem diz que não sabe o que está acontecendo na corrupção deste país. Mentira é quem diz que vai fazer 6.000 creches e só faz 400”, disse.

Marina disse ainda que Dilma “come pela boca do marqueteiro e come pela mão do assessor”. Após acusar o PT de fazer “o jogo de dominador” com ela, afirmou: “eu não quero me parecer com essa gente”.

No mesmo discurso, Marina repetiu quatro vezes “nós estamos no segundo turno”. “Escrevam isso”. As falas da ex-senadora irão abastecer as inserções e os programas eleitorais nos próximos dias.

O discurso inflamado empolgou o estafe de Marina. O deputado Walter Feldman (PSB-SP), braço direito da presidenciável, comemorava com Roberto Freire (PPS-SP). “Foi ótimo”, disseram  ambos. “Ela é uma mulher verdadeira, fala aquilo que pensa”, afirmou Feldman.

Deixar um Comentário