Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Secretário de Saúde não confirma caso de coceira misteriosa em Afogados da Ingazeira

Publicado em Notícias por em 4 de dezembro de 2021

Segundo Artur Amorim grupo do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Pernambuco está estudando e acompanhando os casos

Por André Luis

Em entrevista ao repórter Marcony Pereira para o programa A Tarde é Sua da Rádio da Pajeú, nesta sexta-feira (3), o secretário de Saúde de Afogados da Ingazeira, Artur Amorim, informou que não foi confirmado caso da coceira misteriosa no município.

“Não temos nenhum caso confirmado da coceira misteriosa, como está sendo chamada, que é a dermatite pruriginosa.  Somos obrigados a notificar caso surja algum caso. É interessante dizer também que lesão de pele é uma questão que ocorre já desde antigamente. Só que é de uma etiologia conhecida, que é a causa conhecida”, informou Artur.

O secretário informou ainda que tem conversado com as secretárias de Saúde de Jaboatão dos Guararapes e do Cabo sobre a possível origem da coceira.

“Em suas cidades, elas estão investigando várias frentes, entre elas ações ligadas a consequências da própria covid-19, mas aí descartaram. Também a questão da qualidade da água que tava sendo usada, mas aí também foi descartada. Estavam verificando a possibilidade de ser causado por inseto, que é muito comum também e essas ainda tão em investigação. Então, assim, é uma coisa que tá começando a criar evidência, mas os órgãos de saúde estão trabalhando na perspectiva de vigilância epidemiológica”, destacou. 

Artur disse que a coceira tem características interessantes, por se dar de maneiras diferentes nos indivíduos e afirmou ainda que não tem perspectiva de contágio alto.

“Nas investigações que foram feitas lá em Jaboatão, por exemplo, um relato de Zelma – ela disse que dormia numa mesma cama, a mãe, o pai e os dois filhos e só pegou um filho e a mãe, e os outros não pegaram. Então assim, coisas que precisam ser esclarecidas pra que de fato a gente possa estar falando mais sobre o tema”, informou.

Ainda segundo Artur, “é interessante dizer que a coceira de fato ela não está causando comprometimento sistêmico, aparece, coça e é geralmente a pessoa quando no ato de coçar que tem a lesão na pele. Porque coça muito, então a unha friccionando a pele, ela vai lesionar e aí a partir disso ela vai evoluindo para um quadro de cura, de avaliação e as manchas vão sumindo.

“Ainda é tudo muito cedo, tudo tá se estudando. Não se há comprometimento de outros órgãos e sistemas até agora, pelo que se falou, e a gente tem um grupo do Conselho de Secretários Municipais de Saúde aqui de Pernambuco que está estudando e acompanhando isso junto com a Secretaria Estadual”, afirmou o secretário. 

Artur destacou que não há motivo para pânico e lembrou de outros tipos de coceiras como a escabiose e a sarna, que são comuns.

“Inclusive nessa característica quente que a gente vem vivendo aqui agora do sertão, então assim, se apareceu, procura uma Unidade Básica de Saúde pra poder estar verificando os sinais e sintomas e se for suspeito a gente vai notificar e vai estar informando a Secretaria Estadual de Saúde pra que de fato possamos estar fazendo esse acompanhamento, mas não tem casos em Afogados de Ingazeira até o momento”, destacou Artur Amorim.

Deixar um Comentário