Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?



O deserto da oposição política em Pernambuco e o silêncio constrangedor

Publicado em Notícias por em 15 de dezembro de 2019

Foto: PX Here

Por André Luis

Em sua conta no Twitter, o jornalista João Valadares, responsável pela reportagem que trouxe a tona as quantias exorbitantes recebidas por magistrados do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE), no mês de novembro, reclamou do silêncio de políticos pernambucanos diante da situação.

Segundo o jornalista: “com raríssimas exceções, a classe política pernambucana permanece calada diante dos pagamentos estratosféricos a magistrados do TJ-PE. O escândalo revelado pela Folha de São Paulo, uniu situação e oposição em torno do silêncio. Ninguém quer se indispor com o judiciário”, reclamou.

Ele também disse em outra reportagem, que os pagamentos foram facilitados por uma manobra contábil do governador Paulo Câmara, que acabou por beneficiar a sua esposa, a primeira-dama do estado, a juíza Ana Luiza Wanderley de Mesquita Saraiva Câmara

E reclama com razão. Desde a reeleição do governador Paulo Câmara com apoio do PT, Pernambuco vive um deserto de oposições. São raríssimas as manifestações contrárias as ações do governo, principalmente por políticos pernambucanos que vivem mais no âmbito nacional, como deputados federais e senadores, que parecem se esquecer ao estado a que pertencem e foram eleitos. Armando Monteiro voltou a poucos dias às manchetes, mas é pouco.

Com maioria esmagadora na Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE), Câmara navega em águas tranquilas e consegue aprovar todos os projetos enviados para a Casa – detalhe, quase sempre em caráter de urgência. O último deles um projeto que aumenta em 33% as verbas para a propaganda institucional do governo que vai ter disponível no caixa de 2020 R$ 90 milhões para gastar com publicidade – isto em ano de eleições municipais, foi aprovado sem alardes, com apenas duas ou três manifestações contrárias.

Enquanto isso políticos pernambucanos em Brasília, estão mais preocupados em tratar da agenda nacional, não que não seja importante, mas é preciso voltar os olhos ao estado pelo qual foram eleitos.

Pernambuco tem seus problemas e não são poucos, nas áreas da saúde, da segurança como levantamento exclusivo feito pelo blog que revelou que dos 17 municípios do Pajeú, sete estão sem delegados titulares, das estradas intrafegáveis tomadas por buracos em várias regiões do estado e por aí vai…

Está na hora dos políticos pernambucanos se lembrarem de Pernambuco e do voto popular que os elegeu.

Deixar um Comentário