Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Eleições 2014 e os apoios regionais foram tema no Debate das Dez da Pajeú

Publicado em Sem categoria por em 24 de fevereiro de 2014

J

Hoje nos estúdios da Pajeú, o ex-prefeito de Afogados da Ingazeira e atual secretário de recursos hídricos do Estado, Totonho Valadares (PSB) e o jornalista Mário Viana Filho (PTB), falaram sobre os apoios e o andamento das campanhas para as próximas eleições. Totonho como liderança política do grupo de Eduardo Campos e Mário como liderança do grupo de Armando Monteiro. Participou também o deputado federal João Paulo (PT) que falou sobre a visão e como deve se comportar o PT.

Desafios

Totonho disse que Eduardo Campos assim como nas eleições passadas, conseguiu eleger como prefeito de Recife um nome também desconhecido pela população na área política.

“O governador Eduardo Campos além de se um grande administrador e um grande politico é também um grande estrategista”, disse Totonho.

Inovação

Totonho disse que Eduardo está buscando inovar o ingresso de pessoas na área politica e foi buscar um de seus auxiliares, o Paulo Câmara, que segundo informações é um grande técnico é uma pessoa que tem ajudado bastante no desenvolvimento do Estado de Pernambuco para disputar a eleição como candidato a governador.

“Por outro lado à gente também sabe que das dificuldades que vamos ter, pois vamos enfrentar um candidato forte, conhecido, senador que já vem participando das campanhas”, lembrou Totonho.

Totonho disse que confia em Eduardo Campos e que por isso vai marchar junto com ele, mas que o por ele (Tonho) o candidato seria Fernando Bezerra Coelho que vai ser candidato a senador.

Totonho disse que pelo fato do governador Eduardo Campos ter que se dividir entre o grande projeto que é a candidatura a presidência e apoiar os seus indicados do bloco governista a responsabilidade das lideranças politicas regionais para ter sucesso na candidatura de Paulo Câmara, mas que dependendo do desempenho do governador para Presidência da República isso pode contribuir também nessa arrancada.

“Nós hoje temos três candidatos a Dilma, o Aécio e Eduardo, dependendo do desempenho dessa campanha de Eduardo Campos, pode efetivamente contribuir para que o Paulo Câmara tenha um grande desempenho e do esforço também dos correligionários e de todas as pessoas que fazem parte tanto do PSB como dos partidos coligados da Frente Popular aqui do Estado de Pernambuco”, disse Totonho.

Confiança

Perguntado sobre o suposto clima de já ganhou dentro do PTB com o anúncio de que o candidato do PSB seria Paulo Câmara, Mário Filho disse que não, pois todos sabem que toda eleição é difícil e principalmente quando se trata de um pleito de governo do Estado.

Mário disse que vê Armando Monteiro com grandes chances desde que foi anunciada a sua pré-candidatura, vem pontuando índices importantes em todas as pesquisas, liderando em todos os cenários e em todas as regiões de Pernambuco e que isso é evidente e claro, mas que não existe eleição fácil nem definida.

“Eu acho que essa escolha talvez não tenha sido a melhor do PSB porque acredito que teria outros quadros que talvez trouxesse assim uma vantagem maior para o partido, como seria o caso de Fernando Bezerra”, disse Mário.

A posição do PT

Por telefone o deputado João Paulo (PT) falou que o partido continua fazendo suas avaliações.

“Setores mais à esquerda defendem dois palanques (com PT e PTB cada um para um lado) para favorecer o segundo turno. Outro, um palanque forte para disputa”.

Segundo João Paulo, uma posição só sai no final de abril. Apertado sobre sua disposição pessoal, João Paulo não abriu o jogo. “Estou preferindo que o PT defina a estratégia política. Temos outros nomes como Humberto e Tereza. Tenho que ter cautela, aguardar a estratégia e depois o nome”.

Sobre a escolha de Paulo Câmara como candidato governista, João Paulo também tem parecer cauteloso. “Vamos esperar a definição oficial e avaliar. Prematuramente, sabe-se que não é uma eleição fácil, já que o governador também tem um trabalho no Estado”, ponderou.

Totonho disse que acha que se o PT não fizer parte da chapa de Armando e optar por uma candidatura própria, a eleição fica mais fácil para que o PSB consiga eleger Paulo Câmara.

“Eu acho que tudo isso vai depender ainda do desempenho que a Dilma esta tendo, que tem sido de certa forma negativo em relação ao que já esteve em pesquisas anteriores”, disse Totonho.

Já Mário disse que pelas conversas que tem escutado nos bastidores, acha que é praticamente certo o apoio do PT a Armando Monteiro, mesmo porque o PTB nacional está do lado da presidente fazendo parte hoje do grupo que dá sustentação ao governo e também que quando Eduardo rompeu com o governo federal, por outro lado Armando declarou o seu apoio à Dilma.

“Acho que por toda essa relação de aproximação e demonstração de apoio, eu acredito que já é quase definido, agora quanto a formação da chapa eu acho que ainda leva um tempo”, disse Mário.

Durante o intervalo do Debate, Totonho Valadares falou sobre a acusação do vereador Renon de Ninô (PROS) que em entrevista a Pajeú na última sexta-feira (21) disse que ele (Totonho), estaria cercando uma rua que dá acesso a sua fazenda e deixando vários moradores prejudicados.

Renon afirmou que o ex-prefeito desapropriou vários terrenos durante o tempo em que esteve à frente do município como prefeito e, que agora, espera a atitude do atual prefeito (José Patriota) se terá “peito” para “peitar” o ex-prefeito com essa situação.

Totonho disse que a área que está sendo cercada é de sua propriedade, onde o mesmo adquiriu quando no local somente havia mato e fez a estrada interligando a PE 292 até a sua propriedade. O ex-prefeito afirmou que tomou a iniciativa de cercar a área, devido quando há festas no Aplausos Shows, fica impossibilitado de ter acesso até a sua propriedade devido aos veículos de pessoas que estão na festa, estarem estacionados na estrada, impedido a passagem.

O ex-prefeito falou que o vereador Renon de Ninô estaria incitando as pessoas a derrubarem a cerca e que isso não seria postura correta para um legislador.

“Eu não sabia que Renon como vereador e ex-presidente da Câmara, podia estar incitando o pessoal a derrubar cerca ou muro de áreas que não lhe pertencem, fica até uma coisa muito deselegante para uma pessoa estar fazendo isso”, disse Totonho.

Clique aqui e ouça o Debate na íntegra no Portal Pajeú Rádio Web

Deixar um Comentário