Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Dilma oferece mais R$ 701 milhões para financiar porto cubano, elogia Mais Médicos e reclama de embargo

Publicado em Sem categoria por em 27 de janeiro de 2014

Da Folha

Ao lado do presidente cubano, Raúl Castro, a presidente Dilma Rousseff anunciou nesta segunda-feira um crédito adicional de US$ 290 milhões (R$ 701 milhões) do BNDES para a zona econômica especial do porto de Mariel.

O Brasil já forneceu um crédito de US$ 802 milhões (R$ 1,88 bilhão) para a construção do porto que foi inaugurado hoje por Dilma, Raúl Castro, Nicolás Maduro (Venezuela), Evo Morales (Bolívia) e outros.

Do montante total, US$ 682 milhões (R$ 1,6 bilhão) foram entregues à Odebrecht, que lidera as obras, e outros US$ 120 milhões (R$ 282 milhões) a outras empresas brasileiras.

Em seu discurso, Dilma afirmou que Cuba sofre “um embargo econômico injusto” e que o Brasil quer ser parceiro comercial de primeira ordem da ilha. Ela também comemorou a reintegração de Cuba a organismos internacionais afirmando: “Somente com Cuba nossa região estará completa”.

O embargo econômico dos Estados Unidos a Cuba está em vigor desde a década de 1960. Dentre as medidas, proíbe a venda de produtos com mais de 10% de componentes americanos para Cuba e sanciona empresas que façam comércio com Havana.

O escritor Fernando Morais entregou aos chefes de Estado um livro que escreveu sobre a história do porto, que trata da crise dos mísseis, dos marielitos (exilados que saíram em massa de Cuba na década de 1980), e do atual investimento brasileiro. “O porto fica a 130 km da Flórida. Quando cair o embargo, será importantíssimo”, disse.

O porto de Havana está transferindo suas atividades para Mariel e passará por uma revitalização, nos moldes de Puerto Madero, em Buenos Aires.

Mais Médicos : Dilma agradeceu ao governo e ao povo cubano pelo programa Mais Médicos que disse ser “amplamente aprovado” pela população brasileira. Hoje haverá uma cerimônia para marcar o embarque de mais 2.000 médicos cubanos ao Brasil nesta semana.

Segundo Dilma, o Brasil “acredita e aposta no potencial econômico e social de Cuba”.

Mesmo submetida a um injusto embargo econômico, Cuba será um dos três maiores volumes de comércio do Caribe, desempenho que aumentará substancialmente, com a entrada em funcionamento do porto e da zona especial de desenvolvimento de Mariel”, disse Dilma.

Deixar um Comentário