Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?



Telexfree encerra as atividades

Publicado em Sem categoria por em 17 de maio de 2014

Em julho de 2013, investidores da Telexfree estiveram na Rádio Pajeú e questionaram as informações sobre irregularidades da empresa. A polêmica gerada no Debate com questionamentos dos divulgadores fez com que mais de 12.500 vissem o vídeo. 

Em meio a prisões e ao desmonte de seus negócios, a Telexfree anunciou ontem a “suspensão” de todas as suas atividades. Há um mês a empresa mantinha no ar um aviso de que seu site estava em manutenção e voltaria em 2 horas. Em tom de despedida, a empresa diz não saber quando ou se vai convencer as autoridades da viabilidade de seu negócio e ainda agradece a lealdade dos clientes.

A despedida curta provocou revolta nos investidores, que nas redes sociais reclamaram da falta de menção ao dinheiro. Ela atraiu mais de 1 milhão de pessoas para um esquema encerrado pela SEC de Massachusetts, o equivalente americano da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O órgão entrou, em 15 de abril passado, com uma queixa administrativa para encerrar as atividades da Telexfree Internacional, o que desencadeou o fim da empresa e ações na esfera penal, com a prisão do presidente James Merril, na última sexta-feira, e ontem de Katia Wanzeller, esposa do sócio-fundador Carlos Wanzeller, foragido.

Logo na página 2, o órgão qualifica que a Telexfree não fazia o que alegava ser seu negócio, a venda de ligações telefônicas pela internet, a tecnologia VoIP.

Logo na página 2, o órgão qualifica sem meias-palavras o que fazia a Telexfree, mesma conclusão que motivou as prisões, o congelamento da companhia e a fuga de Wanzeler. É o contrário do discurso de que o lucro vinha das vendas do serviço de ligações telefônicas pela internet, a tecnologia VoIP.

“A TelexFree está pagando seus investidores mais velhos não com o rendimento gerado pela venda do seu produto de VoIP, mas com o dinheiro recebido de novos investidores”, afirma a SEC, no texto.

S1-Noticias

Clique na imagem e acesse a página da Telexfree

A Telexfree, em 14 de abril, tentou driblar as autoridades americanas pedindo recuperação judicial, o que não foi aceito. O relatório revela na página 23 que três dias antes Merril e Katia já haviam emitido para si mesmos US$ 25 milhões em cheques administrativos.

Por fim, a SEC demonstra o colapso da pirâmide. Em 9 de março, já com dificuldades de honrar os pagamentos, a Telexfree mudou o plano de remuneração de quem já tinha investido. Assim, às vésperas de ser fechada pelas autoridades, ela reconheceu dever U$ 600 milhões e ter só U$ 120 milhões em caixa. Mas já era tarde para todos, sócios e investidores.

Deixar um Comentário