Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

MP diz que Crivella chefiou esquema que desviou R$ 50 milhões da Prefeitura

Publicado em Notícias por em 22 de dezembro de 2020

Paulo Motoryn/Poder 360

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) disse que a suposta organização criminosa chefiada pelo prefeito afastado da capital fluminense, Marcelo Crivella (Republicanos), preso preventivamente na manhã desta terça-feira (22.dez.2020), arrecadou pelo menos R$ 50 milhões.

Em entrevista, integrantes do MP-RJ e da Polícia Civil confirmaram as informações que a desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita, do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), incluiu no despacho da prisão preventiva (íntegra – 405 KB).

Na denúncia, o prefeito foi considerado “vértice” do “QG da Propina” . Segundo o documento, ele “orquestrava sob sua liderança pessoal” o esquema. O subprocurador-geral Ricardo Ribeiro Marins disse que não é possível saber quanto Crivella teria ganhado com os supostos crimes.

“A organização criminosa arrecadou dos empresários pelo menos R$ 50 milhões, foi o que conseguimos apurar. Agora, quanto foi para cada um, aí realmente é algo que não temos previsão”, disse Martins.

O subprocurador-geral afirmou ainda que há indícios de que a “organização criminosa não se esgotaria” em 31 de dezembro, com o final do mandato. Por isso, segundo ele, houve o pedido de prisão.

“Apesar de toda a situação de penúria [da Prefeitura], que não tem dinheiro nem para o pagamento do 13º, muitos pagamentos eram feitos por conta da propina”, declarou.

INÍCIO DAS INVESTIGAÇÕES

As investigações tiveram início com o acordo de colaboração celebrado com Sério Mizrahy, preso preventivamente durante a operação “Câmbio, desligo”, deflagrada pela força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, em maio de 2018.

Segundo o delator, havia um esquema na Prefeitura do Rio de Janeiro envolvendo empresários e servidores que “interferiam nas tomadas de decisão, agilizando pagamentos a empresas específicas e interferindo nos processos de licitação”.

Mizrahy afirmou à Polícia Civil que os empresários beneficiados pagavam propina a um grupo criminoso que seria gerenciada por Rafael Alves, homem de confiança do prefeito Marcelo Crivella.

Ele disse ainda que Rafael Alves cobrava propina para autorizar o pagamento de faturas atrasadas a empresas credoras, destinando 20% a 30% ao irmão Marcelo Alves, presidente do Riotur, e outro percentual a Crivella.

Na delação, Mizrahy ainda admitiu que prestava serviços para legalizar os valores recebidos com origem no esquema.

CRIVELLA ERA O “01”

O delator cedeu ao MP-RJ cópias de mensagens trocadas via WhatsApp com integrantes do grupo criminosa. Em uma delas, havia uma cobrança de repasse de uma quantia em espécie “a pedido do ’01’”, codinome que seria de Crivella.

Segundo a desembargadora, o prefeito afastado “não só anuía com os esquemas criminosos, mas deles também participava, chegando, inclusive, a assinar pessoalmente documentos a fim de viabilizar os negócios do grupo criminoso”.

PRISÃO

Crivella foi preso na manhã desta 3ª (22.dez) antes das 6h em sua casa, na Barra da Tijuca, zona oeste da capital fluminense. Crivella teria mais 10 dias de mandato à frente da Prefeitura. Em novembro, perdeu a eleição municipal para o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM).

EIS OS DENUNCIADOS: Rafael Ferreira Alves; Mauro Macedo; Eduardo Benedito Lopes; Marcello de Lima Santiago Faulhaber; Marcelo Ferreira Alves; Isaías Za V Arise; Rodrigo Santos De Castro; Leonardo Conrado Nobre Fernandes; Rodrigo Venâncio Oliveira Fonseca; João Alberto Felippo Barreto; Sabrina Gonçalves Alexandre Van Bavel; Licinio Soares Bastos; Bruno Miguel Soares De Oliveira E Sá; Christiano Borges Stockler Campos; Magdiel Unglaub; José Fernando Moraes Alves; Adenor Gonçalves; Arthur Cesar Menezes Soares; Luiz Roberto De Menezes Soares; Marcus Vinicius De Menezes Soares; Sérgio Mizrahy; Aldano Alves; Bruno De Oliveira Louro; João Carlos Gonçalves Regado; Carlos Eduardo Rocha Leão.

EIS OS CRIMES IMPUTADOS: delitos de organização criminosa; lavagem de dinheiro; corrupção passiva; corrupção ativa.

EIS OS DENUNCIADOS COM PRISÃO PREVENTIVA DECRETADA: Marcelo Crivella; Rafael Ferreira Alves; Mauro Macedo; Eduardo Benedito Lopes; Licinio Soares Bastos; Christiano Borges Stockler Campos; Magdiel Unglaub; José Fernando Moraes Alves; Adenor Gonçalves.

EIS OS ALVOS DE BUSCA E APREENSÃO: Rafael Ferreira Alves; Aldano Alves; Marcelo Ferreira Alves; João Alberto Felipo Barreto; Sabrina Gonçalves Alexandre Van Bavel; Elane Silva Da Conceição; Juliana Câmara Rodrigues; Thays Tavares Alves; Jones Augusto Xavier De Brito; Antônio Carlos Nascimento Da Silva; Lemuel Gonçalves; Celso Henrique Maciel Cury; Randy Assessoria Eireli; Riotur.

Deixar um Comentário