Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Lei municipal institui Dia do Bacamarteiro em Afogados da Ingazeira

Publicado em Notícias por em 23 de setembro de 2019

Foto: André Luis/Arquivo/Rádio Pajeú

Por André Luis

A partir deste ano, o dia 15 de novembro, além de comemorar o Dia da Proclamação da República do Brasil, em Afogados da Ingazeira, também se passa a comemorar do Dia do Bacamarteiro. A novidade foi informada pelo secretário executivo de Cultura e Esportes do município, César Tenório, logo na abertura do programa Manhã Total da Rádio Pajeú FM desta segunda-feira (23). Além de César também participaram do programa o presidente da Associação dos Bacamarteiros de Afogados da Ingazeira, Luiz Torres, o secretário da associação, Lupércio Moraes e o coordenador do evento, Isnaldo Atanásio, o Cafu.

O Dia do Bacamarteiro em Afogados da Ingazeira virou Lei Municipal, a partir da proposição do vereador Rubinho do São João e uma reunião recente com a presença do vice-prefeito Alessandro Palmeira fechou questão em torno do planejamento das comemorações já a partir deste ano.

Apesar de serem lembrados em momentos como no dia de São Pedro, Emancipação política e mais recentemente no dia 7 de setembro, quando foi comemorado a Intendência do país, estava faltando o dia oficial para que os bacamarteiros pudessem comemorar a sua cultura. Afogados da Ingazeira tem a maior associação do gênero do Brasil, com mais de 130 bacamarteiros na ativa.

Segundo César Tenório, mais oito cidades já confirmaram presença no evento, que terá concentração no Campo do Nascente, de onde saíram em desfile pela Avenida Rio Branco até a Praça Monsenhor Arruda Câmara, onde haverá a celebração de uma missa campal presidida pelo padre Gilvan Bezerra. Logo depois é a vez do café da manhã, que será seguido das apresentações com os tiros dos bacamartes com vários momentos. Além é claro de muito forró pé de serra.

Os bacamarteiros já são tradição no município e mereciam ter uma data municipal para que pudessem comemorar toda essa tradição cultural e folclórica.

História – O bacamarte é uma arma de fogo, de cano curto e largo. Esse equipamento foi utilizado na Guerra do Paraguai, em 1865. No Nordeste foi modificado para que se adaptasse ao uso dos bacamarteiros nas festas do Interior. São homens que disparam com cargas de pólvora seca em homenagem aos santos padroeiros ou em cerimônias cívicas e políticas.

Documentação – segundo o secretário da associação, Lupércio Moraes, a autorização para o porte e posse do bacamarte é direto com o Exército Brasileiro, através de um documento chamado de TR, que dá direito a portar a arma e toda vez que tiver um evento tem que tirar uma documentação chamada de ‘Guia de Tráfego’, pelo qual o Exército libera a condução do bacamarte de sua residência ao local do evento. “A autorização tem data e hora pra começar e terminar e só vale naqueles dias”, informou.

Deixar um Comentário