Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Ferramenta virtual do PSB-Rede já coletou 554 sugestões

Publicado em Sem categoria por em 6 de janeiro de 2014

Mudanças na condução da política brasileira. Essa é uma das principais bandeiras dos internautas que já colaboraram com propostas para a nova plataforma virtual lançada pelo PSB e Rede Sustentabilidade há pouco mais de um mês.

O site, o “Mudando o Brasil”, recebeu até a sexta (2) 554 sugestões, a maior parte delas (162) ligadas ao item Reforma de Estado. A plataforma é dividida em nove temas, além de um espaço para o usuário falar sobre qualquer assunto. No local, além de sugerir alguma proposta, o internauta pode avaliar a popularidade da sua sugestão, por meio de comentários e de uma ferramenta onde as demais pessoas consideram a proposição como positiva ou negativa.

Os outros temas pré-definidos são: reformas urbanas para criar cidades sustentáveis; planejamento estratégico e políticas públicas integradas; política Inter setorial e promoção do desenvolvimento tecnológico; educação para o conhecimento e cultura como estratégia de desenvolvimento; redução das desigualdades sociais e regionais; valorização da biodiversidade e dos recursos naturais; política de Saúde; e Segurança Pública.

rede

Chama atenção o número de propostas ligadas ao atual modelo de fazer política, muitas delas presentes na gestão do governador Eduardo Campos (PSB). Um dos usuários, identificado por Raphael, pede a redução de cargos de confiança, além de mais critérios para aceitação de indicação de comissionados. Apesar de pregar a meritocracia, o governo Campos alojou inúmeros políticos, sobretudo na Secretaria de Assessoria ao governador, onde foram nomeados ex-prefeitos com funções questionáveis. Desde esse mês a pasta perdeu o status de 1º escalão.

Mesmo com a distorção entre algumas propostas e a gestão do PSB em Pernambuco, alguns temas sugeridos na plataforma virtual fazem parte do que defende Eduardo Campos publicamente. A redução no número de ministérios é um deles. No mês passado, o socialista afirmou que o atual número de ministérios – 39 – é grave e disse que é preciso racionalizar a máquina pública.

Uma semana depois ele anunciou a extinção de sete secretarias, depois recuou e manteve as pastas de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos e de Cultura. Pelo menos três internautas defenderam a redução no número de ministros, além dos que pedem a diminuição de comissionados. Ano passado, Campos anunciou corte de 969 cargos de confiança.

Deixar um Comentário