Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Eduardo Campos diz que vai renunciar mandato em abril de 2014

Publicado em Sem categoria por em 30 de dezembro de 2013

duduO governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), virtual candidato à Presidência da República, assumiu, pela primeira vez, que deve renunciar o comando do Executivo para disputar a eleição no próximo ano. O socialista afirmou nesta segunda-feira (30) que permanecerá no exercício do mandato até a data estabelecida pela legislação eleitoral, ou seja, até o dia 4 de abril. Nos bastidores, especulava-se que Campos poderia deixar o governo ainda no começo de 2014 para dar mais “carga” ao seu projeto presidencial.

“Vamos ficar até o prazo estabelecido pela Lei Eleitoral. A lei exige um prazo de desincompatibilização para aqueles que serão candidatos às eleições. Vou ficar no governo até o prazo legal, que é dia 4 de abril”, disse Eduardo Campos, em entrevista à Rádio Cultura de Palmares, município da Mata Sul pernambucana, onde o Governo do Estado entregou 707 casas da Operação Reconstrução nesta segunda-feira.

“Até o tempo que a legislação determina, vou estar em Pernambuco cuidando da minha tarefa, que é cuidar da segurança, da educação, da saúde, do saneamento, atraindo empresas para a geração de empregos. Esse é o meu dia-a-dia, que faço com grande ânimo e determinação”, completou Campos, que não citou outro prazo importante para o PSB: a escolha do candidato do partido ao governo de Pernambuco no próximo ano.

Comenta-se que a decisão seja realizada antes do carnaval, em março. Concorrem a indicação os secretários Milton Coelho (Governo), Tadeu Alencar (Casa Civil), Fernando Figueira (Saúde), Paulo Câmara (Fazenda), além do ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, este último citado como o “favorito” entre o grupo. Existe uma apreensão no PSB depois da saída do PTB, do senador Armando Monteiro Neto, da base do governo. Armando, que é pré-candidato, já tem circulado e costurando apoios pelo estado. O trabalhista poderá contar com o apoio do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff, do PT.

Do Diário de Pernambuco

Deixar um Comentário