Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Criminosos detonam explosivos em viaduto e queimam ambulância no Ceará

Publicado em Notícias por em 11 de janeiro de 2019

Polícia isolou viaduto para retirada de artefatos explosivos em Fortaleza — Foto: Rafaela Duarte/Sistema Verdes Mares

G1

Criminosos voltaram a atacar um viaduto, prédios públicos e veículos entre a noite de quinta-feira (10) e a madrugada desta sexta-feira (11) no Ceará.

A onda de violência no estado chegou ao 10º dia seguido com 188 ataques confirmados em 43 dos 184 municípios cearenses. O Ministério da Justiça confirmou que, desde o início dos ataques, 35 membros de facções criminosas do estado foram transferidos para presídios federais – 15 das mudanças ocorreram nesta sexta.

Os ataques começaram no dia 2 de janeiro, quando bandidos incendiaram ônibus, transportes escolares, veículos de prefeituras, prédios públicos e comércios na capital e no interior.

A Secretaria da Segurança Pública comunicou que 309 suspeitos de envolvimentos nos crimes já foram detidos. Os atentados começaram após o anúncio de medidas do governo para tornar mais rígida a fiscalização nos presídios cearenses.

Na noite desta quinta-feira, bandidos detonaram explosivos na parede de um viaduto na rodovia CE-040, no Bairro Messejana, na capital. A explosão não causou danos à estrutura, mas o viaduto precisou ser isolado durante a noite.

O barulho da explosão foi ouvido por moradores de bairros vizinhos. De acordo com uma moradora da região que não quis se identificar, a explosão gerou um tremor nas casas vizinhas. “Foi um estrondo muito forte, tipo como se tivesse uma implosão de um prédio”, comentou.

De acordo com a Polícia Militar, parte do explosivo não detonou e, por isso, a área do viaduto foi isolada. Uma equipe do esquadrão antibombas da Polícia Militar foi chamado para retirar o artefato e evitar uma nova explosão.

Na madrugada de quarta-feira (9) também houve explosão no viaduto da estação da Linha Sul do Metrô de Fortaleza do Bairro Parangaba, em Fortaleza.

Deixar um Comentário