Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Cinquenta anos do Golpe são debatidos em eventos na Rádio Pajeú e Fafopai

Publicado em Sem categoria por em 31 de março de 2014
Este blogueiro, Roberto Gomes, Clóvis Silva, Rogério Oliveira e César Acioly: debatendo 50 anos do Golpe.

Este blogueiro, Roberto Gomes, Clóvis Silva, Rogério Oliveira e César Acioly: debatendo 50 anos do Golpe.

O Departamento de História da Faculdade de Formação de Professores de Afogados da Ingazeira – Fafopai, inaugura nesta segunda-feira, dia 31 de março, o Núcleo de Estudos e Pesquisa Históricos do Sertão do Pajeú – NEPEHSP. O órgão também é atrelado a Autarquia Educacional de Afogados da Ingazeira – AEDAI.

Na ocasião haverá palestra de inauguração “50 anos do Golpe: Vivência, Militância e Memória do Pajeú”, ministrada pelo professor Genildo Santana. O evento acontece a partir das 19h e é aberto a universitários e população.

Dentro da programação de reflexão pelo cinquentenário da deposição de Jango e do início da Ditadura no Brasil, o Debate das Dez da Rádio Pajeú trouxe à tona uma reflexão. Os professores César Acioly, Rogério Oliveira, Roberto Gomes (Fafopai) e Clóvis Silva, da União Pernambucana dos Estudantes (UEP) estiveram no programa. Vários foram os detalhes do golpe que chamaram  a atenção. Ouvintes também puderam participar e dar sua opinião sobre o fim do regime.

Além da importante contribuição dos professores, destaque para o relato do professor Saulo Gomes, falando da importância histórica de João Goulard (Jango) e quais os nomes da região que ajudaram a combater ou compartilhar das ideias do regime.

Atual prefeito de Afogados da Ingazeira e Presidente da Amupe, José Patriota relembrou o episódio de sua prisão no final da década de 70, quando em uma visita do então governador Marco Maciel a Afogados, foram feitas pichações cobrando políticas públicas para a população, principalmente rural. Patriota já era ligado aos Sindicatos Rurais na região. O ato provocou uma prisão dele e de mais dois companheiros por 24 horas. O país era governado por Figueiredo. “Chamavam aqui de uma cidade vermelha, pela ligação com entidades como Sindicato e um Bispo como Dom Francisco”, disse.

Houve várias referências à figura de Dom Francisco, pelo combate à ditadura na região. A Rádio Pajeú, os sindicatos, Diógenes Arruda Câmara, Celeste Vidal, dentre outros nomes, também foram lembrados.

Clique aqui e ouça o debate na íntegra, através do Portal Pajeú Radioweb, da Rádio Pajeú.

Deixar um Comentário