Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Chuvas melhoram situação de abastecimento em cidades sertanejas, comemora Compesa

Publicado em Sem categoria por em 19 de fevereiro de 2014

Pelo menos oito municípios do Sertão de Pernambuco terão o abastecimento melhorado por conta da recuperação do nível de barragens após as chuvas na região. As precipitações que têm ocorrido desde o último sábado (15) foram suficientes para regularizar o nível de açudes como o de Serraria, em Brejinho, Paulo Coelho, em Santa Filomena, e Cacimbas, em Santa Cruz. A Compesa já está trabalhando para melhorar a distribuição de água nessas cidades, sobretudo em Brejinho, cujo manancial estava em colapso e o abastecimento vem sendo feito apenas por carros-pipa.

Como os sistemas estavam sem uso por conta da falta de água, a Compesa está precisando readequá-los antes de colocá-los em operação novamente. É o caso de Brejinho, cidade que vem enfrentando colapso de abastecimento há oito meses. A barragem de Serraria, que estava seca, conseguiu acumular água suficiente para entrar em operação. A companhia teve que instalar um novo sistema de captação para conseguir levar água para o município. O sistema está em fase de testes e deve entrar em operação nos próximos dias.

Foi instalada  uma bomba flutuante na Barragem do Sítio Serraria, que abastece  Brejinho. Funcionários da Compesa informaram que a cidade será abastecida uma vez por semana.

Foi instalada uma bomba flutuante na Barragem do Sítio Serraria, que abastece Brejinho. Funcionários da Compesa informaram que a cidade será abastecida uma vez por semana.

Na região do Araripe, onde há mais dificuldade de atendimento devido à escassez de água, o reservatório que complementa o abastecimento do município de Santa Filomena ficou totalmente cheio por conta das chuvas. Até esta sexta-feira (21), a Compesa deve concluir a reativação do sistema que capta água no açude Paulo Coelho para começar a levá-la para a cidade. Esse sistema estava sem uso justamente porque a barragem estava em colapso. Santa Filomena também recebe água, com calendário rigoroso, do Sistema Adutor do Oeste.

Esta semana, trechos dessa adutora, no ramal que atende o município, foram arrastados pela intensidade das chuvas. Como o acesso às áreas onde aconteceram os rompimentos ainda está complicado, a Compesa está agilizando a reativação da barragem de Paulo Coelho enquanto aguarda a melhoria das condições do terreno para realizar o conserto dos trechos da Adutora do Oeste que foram danificados.

Em Santa Cruz, a barragem de Cacimbas conseguiu juntar 50% de sua capacidade, o que já permite sua operação por parte da companhia. A previsão é também começar a mandar água para a sede do município a partir de sexta-feira. As chuvas melhoraram, ainda, o nível das barragens Lagoa do Barro, em Araripina, e Lopes II, em Bodocó. A Compesa está avaliando se o volume acumulado já é suficiente para colocá-las em operação. Caso as condições sejam favoráveis, será possível melhorar o rodízio em Bodocó, Exu, Granito, Moreilândia e nos distritos de Nascente, Gergelim, Lagoa do Barro e Barra de São Pedro, em Araripina. “Até a próxima semana, devemos fechar o diagnóstico se essa água já tem condições ou não de ser ofertada”, informou o superintendente do Sertão Central, Araripe e São Francisco da Compesa, Cássio Domingues.

Até ontem (18), sete cidades do Sertão e 17 do Agreste haviam superado a média de chuvas previstas para todo o mês de fevereiro, segundo dados da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac). No Agreste, as precipitações ainda não provocaram impacto nos mananciais a ponto de mudar a realidade do abastecimento das cidades. Ainda conforme a Apac, deve continuar chovendo de moderado a forte no Sertão, pelo menos, até amanhã (20). O período chuvoso do Sertão vai dos meses de janeiro a maio, sendo as maiores ocorrências entre fevereiro e abril. É a primeira vez, em dois anos, que municípios sertanejos registram chuvas superiores à média do mês, o que representa um alento para uma região que vem passando pela maior seca dos últimos 50 anos.

Deixar um Comentário