Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Cantata Natalina emocionou público em Afogados da Ingazeira

Publicado em Sem categoria por em 23 de dezembro de 2013

PadreJoaoCarlos.FotoClaudioGomes

Sertanejo não reclama de chuva. Ao contrário, agradece aos céus. Quem estava ontem (22) na Praça Monsenhor Alfredo de Arruda Câmara, no Centro de Afogados da Ingazeira, cidade a 386 km do Recife, sabe disso. Não era então a chuva que caiu durante todo o dia – e ficou mais fina à noite – que iria atrapalhar a 10ª edição da Cantata Natalina. Com a Catedral Senhor Bom Jesus dos Remédios toda iluminada, as pessoas foram chegando aos poucos, de sombrinhas em punho, para acompanhar a programação.

A principal atração da noite foi o padre João Carlos e banda, que subiu ao palco pouco depois das 20h. “É uma noite para viver a fé, encher o coração de alegria, renovar os laços de fraternidade”, conclamou. Foi o show de lançamento no interior do estado do disco Amor imenso. No Recife, o lançamento foi no dia 14, no Quartel do Derby. O padre João Carlos cantou o amor, o cuidado de Deus, a fé e a fraternidade entre os cristãos. A aposentada Maria Edvonete Neves, de 69 anos, acompanhou emocionada. “Venho todos os anos para a Cantata e cada vez fica mais linda. É a segunda vez que vejo uma apresentação do padre, mas essa foi especial”, conta.

PadreJoaoCarloseAnneGlauce.FotoClaudioGomes

Na música Quem me tocou, uma das mais esperadas, o padre João Carlos cantou ao lado de Anne Glauce, vocalista da sua banda. “Essa música é muito forte, muito bonita. É a que eu mais gosto”, afirmou a vendedora Fabiana Lima, de 28 anos. O padre entoou ainda músicas como Meu bom Deus, É hora e Purifica-me.

Participações – A Cantata Natalina contou com algumas participações especiais. O poeta Osmildo Freire, nascido em Afogados da Ingazeira, declamou a poesia Flor do Sertão. “Saí de Afogados aos 15 anos, mas a cidade sempre foi inspiração para mim”, comentou. Também subiram ao palco a cantora Maria Clara, de 7 anos, e o sanfoneiro João Pedro, de 9 anos. Sob a regência do maestro Francisco das Chagas, eles cantaram e tocaram duas músicas de Luiz Gonzaga: Acauã e Légua tirana.

MariaClaraeJoaoPedro.FotoClaudioGomes

Depois do momento de música com os artistas-mirins, o padre aproveitou para convidar um grupo de 20 crianças ao palco. Maria Paula, de 4 anos, era uma delas. Juntos, cantaram A guerra dos meninos, música de Roberto Carlos. A noite ainda teria Nossa Senhora, também de Roberto Carlos, Oração pela família, do Padre Zezinho, e Noite feliz.

Deixar um Comentário