Lembre-se de mim
Registre-se Esqueceu sua senha?

Afogados : Historiador tira página da cidade do ar, desabafa sobre descumprimento às leis e põe casa a venda

Publicado em Sem categoria por em 5 de fevereiro de 2014

fpiresfotoA página Afogadosdaingazeira.com, que reunia o maior arquivo histórico de Afogados da Ingazeira está desativada. A iniciativa de tirar o site do ar foi de seu criador, o historiador Fernando Pires.

Oficialmente, Fernando não explica o motivo da retirada da página. Mas em uma de suas publicações no mural da página – que ele também deverá desativar – Fernando relata motivos que seriam causadores da decisão e indignação :

Sou agredido, indiretamente – com termos baixos – em minha cidade, por defender a bandeira do Respeito e da Paz

Estive em Afogados, desde 15 de dezembro até ontem 2 de janeiro de 2014. Encontrei a cidade mais deteriorada do que da última vez (outubro) em que lá estive. Lastimável!

TAC – Termo de Ajuste de Conduta – Apesar das audiências públicas havidas, não vimos o mínimo do cumprimento do que ficou estabelecido. Nem o Ministério Público nem as Polícias fazem valer o poder da Justiça.

As infrações continuam, e em maior intensidade:

– Carros de Som – que parece uma disputa de quem agride mais os ouvidos das pessoas. Nem é necessário ter um decibelímetro (equipamento para se medir ruído). Além do que, prejudicam a fluidez do trânsito – que já é caótico – com baixíssima velocidade – quase parando – e no meio da pista.

– Carros Particulares – que mais parecem esses mesmos Carros de Som e que dá a impressão de que vão explodir como fezes de quem está com uma séria diarreia: “música da pior qualidade”. E, mais grave, ainda continuam a incomodar depois das 22h e até mesmo pela madrugada.

– Condutores irresponsáveis e inconsequentes que dirigem levando crianças no colo. Vi essa cena várias vezes, mas, a quem reclamar se a polícia está nas ruas e certamente vê essa aberração que, em ocorrendo uma colisão, é configurado crime doloso!

– Bares que invadem as calçadas, e sempre tem algum frequentador que se acha no direito de impor o seu gosto “musical”, ligando o som dentro da noite. Em Afogados da Ingazeira, há alguns anos, passou um delegado que fazia cumprir a Lei: repreendia o infrator e, se ele descumprisse, simplesmente o conduzia à delegacia, “apreendendo o equipamento”.

– Sinais de trânsito (semáforos e outros) – Não é necessário que se passe mais do que alguns minutos para se observar os apressadinhos/infratores.

No endereço da página, resta um mural com anúncio da venda do imóvel de seu idealizador, Fernando Pires. Historiador se diz

No endereço da página, resta um mural com anúncio da venda do imóvel de seu idealizador, Fernando Pires. Historiador se diz “agredido por defender bandeira do respeito e paz”.

– Eventos na Avenida Rio Branco – no dia 31 de dezembro e 1º de janeiro, fiquei em frente à casa da minha mãe até às 24h – afinal é lá que eu me hospedo, por motivos óbvios. Somos obrigados a receber essa agressão do poder público que de modo nada responsável autoriza essa aberração em área central da cidade. Logo mais será realizado mais um Arerê, também Encontro de Motociclistas e Carnaval. Tudo isso na Av. Rio Branco!… Falta sensibilidade ao Ministério Público!

Por que não concluem o Pátio de Eventos, onde se poderia juntar essas festas e os bares que infernizam as famílias e idosos de Afogados da Ingazeira?

Ainda estou indo à minha cidade natal porque tenho familiares e um imóvel. Lá não me sinto mais à vontade… mas, um estranho.

Deixar um Comentário